terça-feira, 22 de janeiro de 2013

DL2013: Labirinto, Kate Mosse (Janeiro)



Sinopse: Em Julho de 1209: na cidade francesa de Carcassonne, uma moça de 17 anos recebe do pai um misterioso livro, que ele diz conter o segredo do verdadeiro Graal. Embora Alaïs não consiga entender as estranhas palavras e símbolos escondidos naquelas páginas, sabe que seu destino é proteger o livro. Será preciso grandes sacrifícios e muita fé para garantir a segurança do segredo do labirinto - um segredo que remonta a milhares de anos, e aos desertos do antigo Egito...


Julho de 2005: durante uma escavação arqueológica nas montanhas ao redor de Carcassonne, Alice Tanner descobre por acaso dois esqueletos. Dentro da tumba escondida onde repousavam os antigos ossos, experimenta uma sensação de malevolência impressionante, e começa a entender que, por mais impossível que pareça, de alguma forma ela é capaz de entender as misteriosas palavras ancestrais gravadas nas pedras. Mas já é tarde demais, Alice percebe que acaba de desencadear uma aterrorizante seqüência de acontecimentos que é incapaz de controlar, e que seu destino está irremediavelmente ligado à sorte dos cátaros, oitocentos anos antes. (Fonte: Skoob)


O mês de janeiro do DL 2013 traz como tema não ter nenhum tema. Isso mesmo, podia-se escolher o que quisesse. Achei ótimo, porque estou com várias leituras aqui, e não ter que escolher de acordo com um tema aliviou o mês da preguiça mor por excelência.

Confesso, o grande incentivo para ler esse livro foi saber que em breve haveria a sua adaptação para uma série de TV com o Tom Felton (que interpretou Draco Malfoy na adaptação da série Harry Potter) como um dos atores no elenco. Sempre vi o livro nas lojas e sempre fiquei curiosa, mas meio assim, porque confundia a autora com a modelo com nome parecido - olha o nível da ignorância, minha gente!

Mas pelo menos me redimi e corri atrás do prejuízo. E não me arrependo. Labirinto é um livro consideravelmente longo, que devorei em menos de uma semana, e que me manteve cativa de sua narrativa.

Apaixonada que sou por mitos e lendas, fiquei bem curiosa em ver como a autora desenvolveria toda a mitologia relacionada ao graal (abordada de tantos modos diferentes) e fiquei bem satisfeita em ver como ela conseguiu lidar com o assunto de um modo diferente do que eu estava acostumada a ver, mas sem ter aquela correria absurda que me incomoda tanto nos livros do Dan Brown. Se menciono este autor aqui é porque houve certo receio por parte da autora em acharem que poderia ter alguma confusão (talvez em relação a um possível plágio) por O Código Da Vinci tratar do mesmo tema.

Mas se o tema é semelhante, o desenvolvimento é outro.

Kate Mosse teve um extremo cuidado em compor suas personagens principais, fosse a adolescente Aläis, fazendo de tudo para cuidar do segredo confiado a ela por seu pai, fosse na determinação de Alice, tantos séculos depois, em descobrir como tudo isso está relacionado à sua própria vida. Gostei muito do modo como fatos históricos estão mesclados à narrativa, sem que ficasse didático e/ ou massante demais.

Enquanto vamos acompanhando as duas tramas que se desenrolam em épocas diferentes, observamos padrões e paralelismos que aproximam as duas personagens, sendo que o que acontece com Aläis no século XIII acaba influenciando completamente o que acontece com Alice. Estabelecemos relações entre personagens das duas linhas de tempo diferentes (e dá aquela dúvida se é reencarnação ou o que seria isso) e fiquei com aquela sensação de que o labirinto que dá título ao livro não faz referência ao símbolo e mais coisinhas que só lendo para entender ligados ao graal, mas à concepção de que a vida obedece determinado padrão que se repete de tempos em tempos, que as coisas não obedecem a um ciclo, mas à uma espiral que se aproxima cada vez mais de um núcleo contendo uma verdade interior. Posso ter viajado um pouquinho demais aqui, mas foi isso que percebi com esta leitura, muito recomendada.





5 comentários:

olhosderessaca disse...

Ou meu deus, mais uma história sobre o Graal para entrar na lista dos que quero ler rs. Ah fiquei especialmente feliz em saber que a narrativa é diferente dos livros de Dan Brown, esse estilo de escrita já me cansou. Fiquei bem interessada na história, e adorei a reflexão final rs. Bjsss

Caroline Oliveto disse...

até hoje não consegui ler esse livro inteiro ! mas quem sabe algum dia dê outra chance rsrs

Jéssica O. disse...

Dani, quando vc quiser emprestado é só falar. :D

Carol, espero que dê uma chance. apesar de ter acho uma coisinha ou outra meio "ahn?!", no final das contas gostei do livro. :)

Erica disse...

Jé, isso não se faz, trocentos livros para ler aqui e agora fiquei na tentação de ler o Labirinto também. Chamou minha atenção, certamente vai ser outro a entrar na minha pequena lista XD Beijão, mamis!

Jéssica O. disse...

Erica ó, eu curti. achei o livro bem interessante (pelo menos me salvou na semana-tédio de ano novo). :D